Skip to content

Minha trajetória

Hoje vim contar um pouco da minha trajetória na medicina, e como eu cheguei até a Leitura Corporal e o BioFAO.

Sempre quis ser médica. Ainda criança já falava que seria pediatra. Não sei bem de onde isso surgiu, mas desde que me entendo por gente tenho essa vontade de trabalhar com a cura.

Ao longo da vida persisti na vontade de cursar medicina, e na adolescência me apaixonei pela saúde mental. Entrei na faculdade com a ideia de fazer Psiquiatria, pois achava que era a única opção dentro da medicina que me permitiria adentrar na psique dos pacientes.

Ainda nos primeiros anos de faculdade me interessei pela psicossomática – a busca pelas causas emocionais das doenças. Fiz um curso paralelo à faculdade durante dois anos e gostei muito, mas ainda não via possibilidade de atuação dentro da medicina que me era ensinada.

Quando tive a disciplina de psiquiatria foi uma frustração. Não era nada do que eu imaginava. Aprendi apenas a medicar sintomas. Não havia escuta, não havia busca pela real causa do adoecimento – em nenhuma disciplina da faculdade, pra falar a verdade. Desisti da psiquiatria e me vi sem nenhuma perspectiva na área médica.

Até que tive aulas de pediatria e reacendeu em mim a vontade que tinha na infância. Vi nas crianças uma possibilidade de fazer a diferença logo nos primeiros anos de vida. Minha ideia era atuar no início da vida promovendo boas condições de saúde física e mental, a fim de dar uma qualidade de vida que persistisse ao longo dos anos, formando adultos saudáveis e bem resolvidos.

Depois de formada e já na residência de pediatria, conheci a Leitura Corporal e me identifiquei muito com a proposta. Fiz diversos cursos na área e sonhava em poder aplicar os conhecimentos das causas emocionais das doenças nos atendimentos, mas não via espaço dentro da terapêutica alopática para isso. Ainda faltava algo.

Foi quando conheci a Metodologia BioFAO que tudo fez sentido. A terapêutica do BioFAO foi ao encontro de tudo que eu acreditava e abriu as portas para que eu exercesse a medicina que sempre acreditei: a que cura não só o corpo, mas também a alma. Diante de um tratamento tão maravilhoso e completo como o BioFAO, resolvi expandir meus atendimentos para todas as faixas etárias, e não apenas crianças.

Na minha prática procuro sempre ter uma visão holística do paciente. Trato pessoas, não doenças. Dou as ferramentas para que a pessoa seja a protagonista do seu próprio processo de cura e consiga ser sua melhor versão. Ofereço mais que uma simples consulta – ofereço uma parceria para o resto da vida.

É sobre escuta, amparo, empatia e compreensão. É andar de mãos dadas com o paciente, atravessando as turbulências juntos e comemorando as vitórias e superações.

Vamos juntos?

Related News

Nenhum comentário, seja o primeiro!


Add um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *